Você tinha medo, eu não. Você tinha algo, eu não tinha ninguém.


Esteban.    

Eu confiei a ela meus segredos, meus sentimentos, minhas mais íntimas percepções do mundo que jamais compartilhei com ninguém. Doei a ela meu tempo, mesmo sabendo que iria quebrar a cara e o coração. Sou um sadomasosquista sentimental. Não sei se o que eu fiz não foi o suficiente. Ou o problema é o que eu não fiz. Eu sabia que amar é um erro pra pessoas como eu, pessoas destinadas a acabarem solitárias pelo mundo. Metade da laranja? Alma gêmea? Amor perfeito? Isso é para aqueles que nasceram com sorte, e de mim esta passa longe. Ela me provou que eu não nasci pra ser amado, a final meus erros sempre são sobre sentir (de mais ou de menos). Ela era demais pra mim. Ela era um diamante e eu um grão de areia. Mas hoje sei que sou um grão de areia levado pelo vento, sem rumo e sem destino. Acho que gosto de sofrer. Amo as pessoas erradas. Por mim mesmo já não sinto, meu coração passou de um capacitor de sentimento para um órgão do corpo. Uma bomba sem vida, que se compassa em um ritmo com a única finalidade de me manter vivo. Ela foi minha prioridade, e pra ela eu fui um passatempo. Nunca fui uma “escolha”, sempre fui uma consequência. Um erro que deveria ter sido apagado, mas acabou não servindo nem pra ir para o lixo. Eu me revesti de amor e paixão e a vi correndo aos braços de outro homem. Sou um fracassado. Não consigo deixar de amá-la. Ela ama outra e esse outro a ama. Sou uma estrela preste a morrer que não se encaixa em nenhuma constelação. Ela foi meu tudo. E sempre fui um nada para todos. Aprendi minha lição, seres como eu foram criados para ter sangue frio, nasci para não sentir, nasci para não amar. Nasci para não ser amado.


Ela.  

4
Reblog

Ela amava outro. Eu não a culpava. Ninguém se apaixonar pelos personagens secundários. Ninguém se apaixona pelo anti-herói, é impossível amar alguém como eu. Não tenho qualidades, sou um defeito ambulante procurando alguém que ame erros. Mas quem vai amar um erro? Não nasci, fui jogado no mundo. Uma pobre alma, digna de pena, fadada a sofrer por aqueles que jamais vão lhe corresponder. Vejo-me no espelho e entendo o porquê de jamais ter sido amado. Ela amou o errado, se apaixonou pelo meio termo e acabou ficando com o certo. Foi uma escolha dela. Também foi uma escolha quando decidi morrer na vida dela.


Ela. 

1
Reblog

Não pretendo escrever uma grande história, sobre grandes amores e aventuras, não por agora. Só queria dizer que já não consigo manter-me alicerçado. Desde já peço perdão por fazer-te perder tempo lendo isso, mas eu realmente precisava ser ouvido/lido. Não é que eu realmente duvide de mim, mas não consigo acreditar em mim mesmo. Aprendi a sempre vê o lado bom de tudo, mas acho que devo ser redondo, não tenho lado bom, sou um completo e finito ciclo de erros. Às vezes, a sorte sorrir pra mim e eu acerto alguma coisa, todavia isso é tão raro quanto um diamante rosa. Não reclamo da vida, reclamo de mim. Não sei como me sinto, e isso é frustante. Sei que me sinto frustado, mas não sei se estou frustado ou apenas querendo fazer um drama adolescente básico para mim mesmo. Viu?! Não sirvo nem ao menos pra sentir, quanto mais pra viver. Do fundo da minha vaga alma, eu realmente creio que vocês (poucos que leem esse texto) não iram me compreender, nem ao menos consigam tentar acompanhar meu raciocínio, ou a singular falta dele. E nada me convém, nada em mim me agrada, nada que eu tente fazer está nas beiradas do certo, quanto mais do estupendo. Não parece-me correto duvidar de mim mesmo, é até antiético de minha parte, mas não consigo aplicar em mim a mesma fé que eu ponho em minha orações. Tenho reais medos de cair em algo profundo poço do qual eu não posso ser resgatado. Tenho serias dúvidas de porque vivo, existo ou coexisto (como preferir). E realmente não sei porque escrevo tais palavras, afinal nem meus gritos são ouvidos, quanto mais meus textos serão lidos. Só aprendi que é desperdício de tempo torna-me o que eu não sou, mas o que fazer quando o que eu sou não me agrada?


Não perca seu tempo. 

15
Reblog